Mostrando postagens com marcador coordenadas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador coordenadas. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

SISTEMAS DE COORDENADAS



PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

A confecção de uma carta exige, antes de tudo, o estabelecimento de um método, segundo o qual, a cada ponto da superfície da Terra corresponda um ponto da carta e vice-versa.

Diversos métodos podem ser empregados para se obter essa correspondência de pontos, constituindo os chamados "sistemas de projeções".

O problema básico das projeções cartográficas é a representação de uma superfície curva em um plano. Em termos práticos, o problema consiste em se representar a Terra em um plano. Como sabemos, a forma de nosso planeta é representada, para fins de mapeamento, por um elipsóide (ou por uma esfera, conforme seja a aplicação desejada) que é considerada a superfície de referência a qual estão relacionados todos os elementos que desejamos representar (elementos obtidos através de determinadas tipos de levantamentos).

Podemos ainda dizer que não existe nenhuma solução perfeita para o problema, e isto pode ser rapidamente compreendido se tentarmos fazer coincidir a casca de uma laranja com a superfície plana de uma mesa. Para alcançar um contato total entre as duas superfícies, a casca de laranja teria que ser distorcida. Embora esta seja uma simplificação grosseira do problema das projeções cartográficas, ela expressa claramente a impossibilidade de uma solução perfeita (projeção livre de deformações). Poderíamos então, questionar a validade deste modelo de representação já que seria possível construir representações tridimensionais do elipsóide ou da esfera, como é o caso do globo escolar, ou ainda expressá-lo matematicamente, como fazem os geodesistas. Em termos teóricos esta argumentação é perfeitamente válida e o desejo de se obter uma representação sobre uma superfície plana é de mera conveniência. Existem algumas razões que justificam esta postura, e as mais diretas são: o mapa plano é mais fácil de ser produzido e manuseado.


CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE COORDENADAS

Os sistemas de coordenadas são necessários para expressar a posição de pontos sobre uma superfície, seja ela um elipsóide, esfera ou um plano. É com base em determinados sistemas de coordenadas que descrevemos geometricamente a superfície terrestre.

MERIDIANOS E PARALELOS

MERIDIANOS - São círculos máximos que, em conseqüência, cortam a TERRA em duas partes iguais de pólo a pólo. Sendo assim, todos os meridianos se cruzam entre si, em ambos os pólos. O meridiano de origem é o de GREENWICH (0º).(*)

PARALELOS - São círculos que cruzam os meridianos perpendicularmente, isto é, em ângulos retos. Apenas um é um círculo máximo, o Equador (0º). Os outros, tanto no hemisfério Norte quanto no hemisfério Sul, vão diminuindo de tamanho à proporção que se afastam do Equador, até se transformarem em cada pólo, num ponto (90º).

(*) Meridiano Internacional de Referência, escolhido em Bonn, Alemanha, durante a Conferência Técnica das Nações Unidas para a Carta Internacional do Mundo ao milionésimo, como origem da contagem do meridiano.



LATITUDE GEOGRÁFICA ( j )

É o arco contado sobre o meridiano do lugar e que vai do Equador até o lugar considerado.

A latitude quando medida no sentido do pólo Norte é chamada Latitude Norte ou Positiva. Quando medida no sentido Sul é chamada Latitude Sul ou Negativa.

Sua variação é de: 0º a 90º N e;
0º a 90º S

LONGITUDE GEOGRÁFICA ( l )

É o arco contado sobre o Equador e que vai de GREENWICH até o Meridiano do referido lugar.

A Longitude pode ser contada no sentido Oeste, quando é chamada LONGITUDE OESTE DE GREENWICH (W Gr.) ou NEGATIVA. Se contada no sentido Este, é chamada LONGITUDE ESTE DE GREENWICH (E Gr.) ou POSITIVA.

A Longitude varia de: 0º a 180º W Gr.; e
0º a 180º E Gr.


1) O mundo é dividido em 60 fusos, onde cada um se estende por 6º de longitude. Os fusos são numerados de um a sessenta começando no fuso 180º a 174º W Gr. e continuando para este. Cada um destes fusos é gerado a partir de uma rotação do cilindro de forma que o meridiano de tangência divide o fuso em duas partes iguais de 3º de amplitude

A cada fuso associamos um sistema cartesiano métrico de referência, atribuindo à origem do sistema (interseção da linha do Equador com o meridiano central) as coordenadas 500.000 m, para contagem de coordenadas ao longo do Equador, e 10.000.000 m ou 0 (zero) m, para contagem de coordenadas ao longo do meridiano central, para os hemisfério sul e norte respectivamente. Isto elimina a possibilidade de ocorrência de valores negativos de coordenadas.

O sistema UTM é usado entre as latitudes 84º N e 80º S.

Além desses paralelos a projeção adotada mundialmente é a Estereográfica Polar Universal.

É a mais indicada para o mapeamento topográfico a grande escala, e é o Sistema de Projeção adotado para o Mapeamento Sistemático Brasileiro.

   MACETES

Quando o projetista recebe os levantamentos topográficos, este vem com informações de localizações por meio de coordenadas, e o seu domínio deve ser fundamental para que possa obter o Maximo de informações suplementares a partir do Google Earth, e do referido levantamento.

 

  1 – CUIABÁ ESTÁ INSERIDA NO SETOR 21 L, PORTANTO A REPRESENTAÇÃO DA COORDENADA NO EIXO X SERÁ SEMPRE : 21 L XXX.XXX,XX

2 – QUANDO REFERENCIAMOS UM PONTO NO EIXO X, (PARA DIREITA), DISTANCIANDO PARA ESTE (E), AS DISTANCIAS VÃO AUMENTANDO.

3 – SE DISTANCIAR-MOS PARA ESTE, MANTENDO A MESMA DISTANCIA DO EQUADOR, AS COORDENADAS Y, MANTERÃO O MESMO VALOR.

EXEMPLO: NA FIGURA O PONTO DE COORDENADA (593.798,14 m E – 8.274.543,10 m S), ESTÁ AFASTADO NA MESMA HORIZONTAL DO PONTO DE COORDENADAS (594.291,79 m E – 8.274543,10 m S). PORTANTO A DISTANCIA ENTRE ESTES DOIS PONTOS SERÁ DADO POR:

594.291,79 – 593798,14 = 493,65 m

4 – O PONTO A ESTÁ AFASTADO 500,00 m, VERTICAL DO PONTO DE COORDENADA (594.177,96 m E – 8.275.095,78), PORTANTO ESTE PONTO TERÁ A SEGUINTE COORDENADA;

8.275.095,78 – 500,00 m = 8274595,78

COORDENADA DO PONTO A = (594.177,96 m E - 8274595,78 m S)

OBSERVE QUE NO EIXO Y, DECRESCE RUMO AO POLO SUL, OU SE AFASTANDO DO EQUADOR.

5 – INDEPENDENTE DO PONTO AS COORDENADAS SERÃO SEMPRE PARA ESTE (E), e NORTE OU SUL, E NO NOSSO CASO DE CUIABÁ, SERÁ SEMPRE ( ESTE E SUL)

ESPERO TER CONTRIBUIDO COM AS VÁRIAS SOLICITAÇÕES SOBRE ESTE TEMA.

 

Fonte: IBGE, e o Autor