Mostrando postagens com marcador extravasamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador extravasamento. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 30 de maio de 2011

VÁLVULA CONTROLADORA DE NIVEL MÁXIMO

VÁLVULA CONTROLADORA DE NIVEL MÁXIMO
                                                                                Reservatório de jusante, ou de sobras
Um dos grandes problemas operacionais, nos sistemas de abastecimento de água, é o controle do nível máximo dos reservatórios. E por conta deste controle algumas empresas destinam mão de obra especifica para esta atividade (operadores de reservatórios), são cinco profissionais que se revezam em turnos, em um intervalo de 24 h, para evitar que haja o extravasamento; Este é um custo operacional muito alto, considerando que a atividade é improdutiva, e pode ser substituída por um sistema automatizado.

Nesta postagem vamos nos ater apenas ao controle mecânico por meio de válvula controladora de nível máximo. Esta válvula opera com a pressão na tubulação, e propicia o fechamento lento da linha de recalque quando ocorre o nível máximo, e uma pequena bóia inicia o bloqueio, assim é possível evitar o transiente hidráulico, e em conseqüência proteger a tubulação contra possível rompimento.


                                                                                Válvula em fase de Montagem

                                                      Vala para acesso a tubulação de entrada no RAP
                                                                                                  Válvula Montada


Em dependendo da configuração do sistema de abastecimento do RAP, outros sistemas complementares devem ser instalados com o objetivo de cessar o bombeamento, ou o fluxo de outro RAP.


terça-feira, 18 de maio de 2010

TELEMETRIA



TELEMETRIA – Parte 1

O Inicio

A telemetria geralmente refere-se à comunicações sem fio, sendo realizada através de aparelhos que permitem a coleta de dados em locais diversos, transmitindo-os para outro local.

Assim quando Touro Sentado, o Cacique dos índios Sioux, queria avisar os seus amigos cheyenne, da presença do Sétimo Regimento de Cavalaria Americana, que estava sob as ordens do general Custer, utilizava-se de uma tecnologia denominada Fumaça Fragmentada, permitindo assim codificar um aviso entre dois locais remotos.




Touro Sentado chegou a ser famoso por conduzir três mil e quinhentos índios sioux e cheyenne contra o Sétimo Regimento de Cavalaria Americana, e, na batalha de Little Bighorn em 25 de junho de 1876, derrotou o exército federal. A comunicação sem fio já estava presente, ajudando o homem em suas conquistas, e garantindo produtividade em suas ações.

A Evolução da Telemetria no Saneamento

Operar um sistema de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, sem os recursos da Telemetria é administrar no “escuro”, ou seja, não sei o que está acontecendo, e acho que está funcionando, é o achismo sempre presente. Assim uma linha de recalque que abastece dois centros de reservação em uma distancia de 5 km, estará sempre extravasando, e causando desperdício além de uma péssima imagem da empresa que combate as Perdas, e penaliza os seus usuários contra o consumo excessivo. No Brasil as Empresas não evoluíram no controle operacional, principalmente pela insuficiente visão empresarial de seus dirigentes, bem como do desconhecimento técnico de gerentes, projetistas, e operadores, além do principio básico de que é melhor proteger o mercado de trabalho, em detrimento a eficiência operacional, qualificação de pessoal e redução de custos. Neste quesito evolução o destaque é para a Sanepar (PR), seguida da Sabesp (SP), Copasa (MG), Embasa (BA) e Caesb (DF). Nestas empresas a telemetria está presente em todos os grandes centros, com transmissão de níveis de reservatórios, vazão, pressão, e estado de funcionamento de bombas. A visão de futuro é que todas as empresas venham aderir a este modelo gerencial, como mostra os novos empreendimentos financiados com recursos do PAC.

Sistema de Telemetria da Sanecap em Cuiabá

O primeiro sistema de Telemetria da Sanecap envolve o controle dos reservatórios Nova Esperança, Pedra 90 e Manduri. Assim o operador da Eta Tijucal pode visualizar nestes reservatórios o nível, o estado de funcionamento das bombas se está ligada ou desligada, e proceder desligamentos e ligação remota. Pode ainda controlar a abertura e fechamento de válvulas, permitindo gerenciar vazões em função da demanda setorial. A transmissão de dados para a central de controle é via rádio, sendo portanto em tempo real.