segunda-feira, 23 de novembro de 2020

 

ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

PARTE 1 – A ORIGEM




Carlos Estevão, famoso cartunista, publicava na Revista “O Cruzeiro”, do fim da década de 40 até sua morte, em 1972, ilustrações e páginas   com o título:

As aparências enganam

Pois é, essas histórias me vieram à cabeça quando planejei escrever esta matéria para o Blog, pois para o leigo, água limpa e transparente, significa água boa para se beber, porém as aparências enganam, e muito, quando se trata de água.

E por desconhecimento, vemos ainda muita gente por aí, buscando água de minas, e poços caseiros, para consumo humano, com a crença de ser a mais “saborosa” e “segura”.


Garrafões em fase de enchimento com água da mina

Imaginem a cena: Em uma trilha, largado e pelado encontramos um Igarapé no meio da selva, obviamente imaginamos tratar-se da fonte mais preservada do planeta, e bebemos de sua água, e por curiosidade colhemos uma amostra e a levamos para o laboratório.

Resultado: Presença de Coliforme Fecal do gênero E.Coli, que tem seu habitat no trato gastrintestinal sendo indicadora de contaminação fecal, que é originado  por vertebrados de sangue quente.

Como é possível? Sim, antes de nós também estiveram no igarapé os animais que buscam saciar a sede e possivelmente defecam em suas margens.

Concluímos então que uma água originária de uma fonte isolada na floresta, pode estar tão contaminada com coliforme de origem fecal, como a de uma água originada em um Rio Urbano, ou uma mina aflorante, a diferencia é quanto a patogenicidade, em outras palavras, o excremento da onça, da paca, da capivara....tem possibilidade zerada de provocar doenças de origem hídrica.

Igarapé com presença de coliforme Fecal

E na água do poço profundo, ou uma cisterna caseira bem protegida, o que pode ocorrer?

Pra saber, vamos interpretar o laudo de um exame de uma amostra de um poço profundo, que foi enviado a um laboratório especializado.

PARAMETROS ANALISADOS:

1 - PH – Indica se a água é acida ou alcalina, sendo 7 um valor neutro.

Abaixo de sete, é água acida e acima de 7 alcalina, o bom para consumo é sempre acima de 6, porém poucas águas, dita minerais, apresentam esta condição.

Se o único parâmetro fosse o PH esta seria uma excelente água.

 PH de algumas águas minerais vendidas no Brasil (Fonte: Cura pela natureza)

·         São Lourenço – pH 5,45 (ácido)

·         Indaiá – pH 4,64 (ácido)

·         Bonafont – pH 5,44 (ácido)

·         Petrópolis – pH 5,38 (ácido)

·         Perrier – pH 5,5 (ácido)

·         Santa Joana – pH 5,25 (ácido)

 

·         Puris – ph 6,98 (neutro)

·         Lindoya – pH 6,74 (neutro)

·         Schin – pH 6,79 (neutro)

·         Água prata – pH 7,01 (neutro)

 

·         Pureza Vital Nestlé – pH 7,44 (alcalino)

·         Minalba – pH 8,04 (alcalino)

·         Sarandi – pH 9,35 (alcalino)

·         Ibirá – pH 10,15 (alcalino)

·         Levity – pH 8,84 (alcalino)

·         Crystal – pH 7,28 (alcalino)


No Art. 39 § 1º da Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011, do Ministério da Saúde, que dispõe sobre o padrão de potabilidade das águas, recomenda que o pH (potencial hidrogeniônico) da água própria para consumo seja mantido na faixa de 6,0 a 9,5.

Portanto das 16 amostras do exemplo, 37,5%, estão fora da recomendação do Ministério da Saúde.

O Risco de consumo de água ácida, só é perceptível depois de dez, ou mais anos, pois pode causar problemas gástricos, como gastrites, úlceras e câncer de estômago”

 

2 - COLIFORME TOTAL:

São bactérias que fermentam a lactose, ou o açúcar do leite.

Os resultados dos exames deram positivo, ou seja, presença de coliformes totais.

Ora, se meu poço está protegido, como apareceu este coliforme?

A origem desta bactéria na água de poço, leva a crer que a água teve contato com matéria orgânica em decomposição, esta é uma matéria orgânica do solo da perfuração, portanto se tem matéria orgânica, elas vão vai estar sempre lá.

3 - ESCHERIA COLI:

Escherichia coli (E. coli) é um tipo de bactéria que habita no sistema digestivo do ser humano e de todos os animais de sangue quente. (portanto presente nas fezes)

Os resultados deram negativos, o que significa que não existe contato com fossa séptica, e nenhum animal de sangue quente defecou na água. Este é um excelente resultado.

Então lá no igarapé encontramos a E.Coli, e no nosso poço, estamos livre dela, a razão é a proteção tanto externo quanto interno do poço, para evitar a contaminação pelo lençol freático, que pode carrear fezes de fossas urbanas. E não esqueçamos que lá deve ter algumas oncinhas....

 

4 - BACTERIAS HETEROTROFICAS:

As bactérias heterotróficas são abundantes no meio ambiente, em especial da água - incluindo a água de torneira e água tratada, É A BACTERIA QUE NÃO FAZ MAL AO SER HUMANO, porém devem estar limitadas a 500 Unidades Formadoras de Colônia por mililitro (UFC/ ml).

O resultado deu 184 (portanto dentro do limite).

 

5 – FERRO:

O ferro é encontrado em praticamente todas as águas, porém, quando ocorre teores superiores a 0,5 ppm, a água tem sua cor, odor e sabor alterados. 

Teores de ferro dessa ordem tendem a reduzir a aceitação da água pela população, pelo fato de causarem manchas em roupas e pisos, entre outros inconvenientes, veja na ilustração um sanitário que usa água com elevado teor de ferro.

Em nossa análise, resultou menor que 0,10, portanto está dentro dos limites permitidos (o seu excesso não faz mal à saúde, porém amarela tudo na cozinha e banheiro)

 

6 – COR:

A cor é um dado que indica a presença de substâncias dissolvidas na água. Assim como a turbidez, a cor é um parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto.

O resultado deu 145, sendo o valor máximo permissível de cor na água distribuída para consumo humano é de 15,0 U.C. (unidade de cor)


7 – TURBIDEZ: A turbidez é causada pela presença de materiais sólidos em suspensão como: silte, argila, sílica ou coloides, matérias orgânicas e inorgânicas finamente divididas, organismos microscópicos e algas.

O Resultado foi de 0,83 sendo adotado o valor máximo de 5 Unidades de turbidez para as águas de consumo humano. Portanto dentro dos limites

                                                       Fonte: usgs.gov

CONCLUSÃO:

É raríssimo a situação em que a água é encontrada na natureza, em condições de potabilidade em conformidade com os parâmetros do Ministério da Saúde.

Esta água é denominada, ÁGUA BRUTA, pois ainda não passou por um processo de Potabilização, para ser adequada ao consumo humano.

daí a necessidade de TRATAMENTO TORNA-SE IMPRESCINDIVEL, e o mais simples dele é o de ferver antes do consumo....

 

Próxima Postagem......ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

PARTE 2O TRATAMENTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOVO MARCO LEGAL DO SANEAMENTO E A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NAS CIDADES BRASILEIRAS

  A história de Lagoa Azul, uma hipotética cidade brasileira, onde em 1975, a gestão do serviço de abastecimento de Água, era de responsabil...