quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

PRODUTORES DE LIQUIDOS PRECIOSOS

 


            1 – A INDUSTRIA DE PRODUÇÃO DA CERVEJA

Uma boa Cerveja tem em sua fabricação os seguintes insumos básicos, como matéria prima.

1.           Água
2.           Malte
3.           Lúpulo e
4.           Leveduras

Desta associação, e variação quantitativa, derivam a maioria das cervejas do mundo.
Para a sua produção alguns insumos energéticos são necessários, quer seja o gás de cozinha dos cervejeiros artesanais, a energia elétrica das cervejas industriais;

Estes insumos são necessários para geração de calor na fase inicial de brasagem, e gelo na fase final de fermentação primária e secundária.

Ou seja, da matéria prima ao produto acabado, e pronto para a venda é agregado um elevado custo de produção, com aquisição e controle de insumos, com pessoal, manutenção da fábrica, armazenamento, controle de qualidade, custos fiscais entre outros.

O destaque nestas empresas, é que as perdas são zeradas, aqui não há espaço para este tipo de prejuízo.
 
2 – A INDUSTRIA PARA PRODUÇÃO DOS 15 LÍQUIDOS MAIS CAROS DO PLANETA                    
 15. Corretivo líquido: cerca de 45 dólares por litro

Na composição dessa substância encontramos gasolina, álcool mineral, resinas, dispersantes e fragrâncias.

14. Penicilina: aproximadamente 70 dólares por litro

A penicilina é um conjunto de antibióticos que incluem a penicilina V, penicilina G, penicilina benzatina e procaína penicilina e é utilizada para o tratamento de várias infecções.

13. Óleo essencial de Patchouli: aproximadamente 180 dólares por litro
 
Esse óleo essencial é obtido à partir das folhas frescas e secas e de flores da planta com o mesmo nome: patchouli (Pogostemon). A substância tem propriedades anti-inflamatórias, antissépticas, combate a febre e os fungos, litíase renal e todo tipo de odor desagradável.

12. Sangue humano: cerca de 400 dólares por litro
 
O corpo de um humano adulto tem aproximadamente 5 litros de sangue, composto de plasma e células suspensas nele. Embora que cada vez mais e mais pessoas se tornem doadoras, a extração, seu processamento e armazenamento requer investimentos consideráveisPor isso o seu alto preço. Vale lembrar que, no Brasil, a comercialização de sangue para comercialização de sangue para transfusão é proibida por lei.

11. Ácido gama-hidroxibutírico (GHB): aproximadamente 650 dólares por litro
 
O GHB, também conhecido como ácido gama-hidroxibutírico, é uma substância que é utilizada como analgésico e para tratar a narcolepsia, insônia, catalepsia e alcoolismo. O GHB também se produz como resultado da fermentação e se encontra em pequenas quantidades em alguns vinhos, carne bovina e pequenos cítricos. Em muitos países a sua venda está proibida.

10. Esmalte Essie: cerca de 680 dólares por litro
 
É o preço da marca Essie, que fabrica um dos mais duradouros e coloridos esmaltes para as unhas e garante uma aplicação uniforme. Existem marcas que vendem esmaltes para unhas a um preço ainda mais alto.

9. Tinta preta para impressoras: aproximadamente 710 dólares por litro

Ficou surpreso? Nós também! No entanto, esse não é o preço máximo. Mas nós estamos falando aqui da tinta e cartuchos originais de fabricantes conhecidos, que investem no aperfeiçoamento da tecnologia, pesquisas e na melhora da tinta.

8. Mercúrio: aproximadamente 890 dólares por litro
 
O mercúrio é o único metal que se encontra no estado líquido em temperatura ambiente. Essa substância é utilizada para produzir termômetros, é utilizado na metalúrgica, indústria química e agricultura.

7. Insulina: aproximadamente 4 mil dólares por litro
 
A insulina, em sua forma natural, é produzida no pâncreas humano. Ela mantém os níveis de glicose no sangue e participa do metabolismo da gordura. É uma substância vital para as pessoas que sofrem com o diabetes.

6. O perfume Chanel No 5: aproximadamente 7 mil dólares por litro
 
Provavelmente não existe uma só pessoa que não tenha escutado sobre esse lendário perfume. Depois de ser lançado, em 1922, o Chanel número 5, já está a quase um século mantendo sua posição de liderança no mercado mundial. Seu preço faz jus à sua composição única, que inclui extratos de flores e raízes de plantas exóticas.

5. O sangue azul dos caranguejos-ferradura: cerca de 16 mil dólares por litro
 

O sangue desses artrópodes marinhos não contém hemoglobina, mas sim hemocianina, que traz a cor azul do sangue. Se coagula muito rápido quando as bactérias a penetram, e por isso é muito valorizado pela indústria farmacêutica, sendo utilizado para que sejam detectadas toxinas em diversos fármacos. A maior parte dos fármacos que utilizamos já passaram pelo teste com o sangue azul dos caranguejos de ferradura.

4. Dietilamida de Ácido Lisérgico (LSD): creca de 32 mil dólares por litro
 
Se trata de uma substância semissintética, psicoativa e muito perigosa que foi muito popular na época hippieHoje em dia, o LSD está proibido na maioria dos países.

3. Veneno de cobra real: 40 mil dólares por litro
 
A cobra real é uma das maiores e mais perigosas serpentes do mundo. Apenas uma picada poderia matar um elefante! Pessoas que trabalham com a retirada do veneno da cobra real arriscam suas vidas, mas o fazem mesmo assim pois essa substância é muito valiosa, visto que ela é utilizada para produzir medicamentos para o combate ao Alzheimer, Parkinson, esquizofrenia e transtornos depressivos.

2. Veneno de escorpião: cerca de 10 mil dólares por litro
 
A proteína que se encontra no veneno do escorpião é utilizada para tratar a esclerose múltipla, doenças inflamatórias que acometem o intestino e a artite reumatóide.

1. A bebida alcoólica mais cara do mundo: aproximadamente 35 mil dólares por litro

O preço do licor D’Amalfi Limoncello Supreme é de mais de 35 mil dólares por garrafa! E não é tanto pela deliciosa bebida criada com limões da costa amalfitana, elaborada segundo antigas receitas italianas, como também por causa de sua garrafa. O gargalo está decorado com três grandes diamantes de 13 quilates e o corpo da garrafa, com um caríssimo diamante de 18,5 quilates. Certamente por isso, apenas foram lançadas 2 garrafas deste licor.         
FONTE: INCRIVEL.COM
 
Assim como nas cervejarias, o destaque nestas empresas, é que as perdas são zeradas, aqui não há espaço para este tipo de prejuízo.

ÁGUA — O PRECIOSO LÍQUIDO DA VIDA


A UMA mulher samaritana que tirava água de um poço, Jesus falou de “uma fonte de água que borbulha para dar vida eterna”. (João 4:14)

Embora a água a que ele se referiu fosse simbólica, a água literal é essencial à vida, perdendo em importância apenas para o oxigênio.

Pode-se sobreviver por várias semanas sem comida, mas apenas uns cinco dias sem água!

A água, é atribuída CUSTO ZERO, e caracterizada como DADIVA DIVINA

E assim deve ser eternamente entendido, pois esta é a que denominamos ÁGUA BRUTA, ou a água em seu estado natural nos mananciais.

Ali todos os seres humanos e animais, podem saciar-se a custo zero.

Porém o mundo passa por um processo continuo de mutação e evolução, os tempos mudaram, e os mananciais fonte da DÁDIVA DIVINA, adquiriram condições maléficas a saúde, e saciar-se nestes mananciais deixaram de ser saudáveis para o ser humano, pois esta água tornou-se fonte de contaminação de doenças como verminoses, amebíase, cólera, giardíase a hepatite A, entre outras.....

Então, a saída foi a construção da...

  

3 – INDUSTRIA DE PRODUÇÃO DE ÁGUA TRATADA

   ETA - transforma a água bruta (dádiva divina) em água tratada (produto industrializado)

Sim, e a exemplo das industrias descritas anteriormente, esta indústria utiliza matéria prima que é a água bruta, e insumos energéticos, de pessoal, de manutenção, de controle, de armazenamento, entre outros, o que agrega valor ao produto final, que é a água tratada.

A indústria de produção de água tratada, difere das demais industrias em um quesito que remete a sua eficiência operativa, o que conduz a geração de PERDAS.

Diferente das demais empresas produtoras de líquidos, as perdas aqui são alarmantes.

A perda de água no Brasil, segundo o estudo realizado pelo INSTITUTO TRATA BRASIL.

38,3% da água potável e tratada é perdida pelo caminho das estações até a casa dos cidadãos, ou seja, a cada 100 litros, 38 são perdidos.

Em outras palavras, esses dados significam que mais de 7 mil piscinas olímpicas de água boa para beber são perdidas todos os dias.

 Financeiramente, essa perda está acima dos R$ 11 bilhões

O levantamento feito pelo Trata Brasil ainda identificou as principais causas das perdas de água em nosso país.

Na maioria dos casos, elas ocorrem por conta de vazamentos em diferentes pontos do sistema de abastecimento, por causa das ligações clandestinas e irregulares (os chamados “gatos de água) e por falhas de leitura ou leituras imprecisas devido aos hidrômetros estarem muito antigos e necessitarem de substituição.

Se o Brasil diminuísse 20% da quantidade de perdas de água, ao longo de 20 anos, haveria um ganho de R$ 31 bilhões

Para que o problema deixe de acontecer no Brasil, é fundamental que os PRODUTORES DE ÁGUA TRATADA (SAAEs e DAEs) invistam em eficiência operacional.

É necessário, portanto, pensar em soluções, tais como:

1.           Gerenciamento do controle de perdas,

2.           Monitoramento de programas de perdas,

3.           Campanhas educativas para acabar com os gatos de água e o consumo clandestino, e

4.           Capacitação de Pessoal por meio de treinamentos........


jorcy-aguiar.eadbox.com


sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

HOUVE UM TEMPO

 

Os Tigres – Escravos que coletavam as fezes nas residências e lançavam nos Rios e Córregos

Houve um tempo em que por falta de Saneamento Básico no Brasil, provocou muitas vítimas de doenças de origem hídrica.

Naquele tempo as soluções eram individuais, e cada cidadão buscava uma solução para prover-se de água para consumo, e afastamento das fezes e águas residuárias.

Houve neste tempo, muito desconhecimento da transmissibilidade das doenças, e assim os poços caseiros eram construídos, muito próximos das fossas, multiplicando assim as doenças pela ingestão de água contaminada.

Houve um tempo em que o Governo Federal, entendeu que era sua responsabilidade, cuidar da saúde dos brasileiros e criou um plano nacional de saneamento, e neste tempo todos os Vereadores e Prefeitos, buscavam mecanismos para empurrar o problema para as companhias estaduais recém criadas (Sanemat, Sabesp, Copasa, Embasa, Cosanpa.....)

Houve neste tempo, grandes investimentos em obras estruturantes, e um relaxamento com a operação e a comercialização dos serviços.

Era muito importante para os políticos terem água a custo insignificante, para angariar votos, pois o pagamento de pessoal estava garantido com o subsídio do governo federal, por meio da taxa de administração das obras.

Neste tempo, não se cobrava água, e nem cortava em períodos eleitorais.

Houve um tempo em que o ensino profissionalizante, só era possível por meio dos correios, e de empresas como O INSTITUTO UNIVERSAL BRASILEIRO.



Neste tempo a comunicação era muito precária, e os controles de contas de água eram manuais, e em época de eleições as dívidas dos inadimplentes sumiam como passe de mágica.

Na divulgação de conhecimentos técnicos na área de saneamento, foi de fundamental importância os cursos promovidos pelo CETESB, com a denominação inicial de Centro Tecnológico de Saneamento Básico, do Estado de São Paulo, e com a tradicional morosidade dos Correios.


Neste tempo a avidez pelo conhecimento, era limitada pela escassez de informações, e daí o improviso, achismos, e arranjos técnicos (gambiarras), foram-se multiplicando, e os efeitos são mantidos até os dias atuais.

E assim sucederam-se muitas experiências mal sucedidas em abastecimento de água e esgotamento sanitário, que por falta de divulgação do conhecimentos, éramos dominados pelos "especialistas".

Houve um tempo, em que havia apenas um profissional que sabia fazer manutenção nos tubos de Fibras de Vidro, PRFV (Plástico Reforçado com Fibra de Vidro), e se o mesmo estivesse em uma de suas pescarias, o vazamento demorava até a sua chegada.

Neste tempo, toda memória do sistema de abastecimento de água, estava na “cabeça”, de um único funcionário, que decidia quais as válvulas deveriam ser abertas ou fechadas, para possibilitar abastecer por meio de rodizio, um determinado bairro da cidade.

Imaginem a importância deste Conhecimento.


Passaram-se o tempo, e o conhecimento estagnou-se no tempo, e assim são muito pouco os profissionais que detém o conhecimento fora de seu espaço de trabalho. Veio a Internet, as modernizações de comunicações, mas a inércia da busca do conhecimento ainda permanece, e as modernidades devem ser impulsionadas, pois

 Ainda estamos no tempo em que, a telemetria, evoluiu, barateou custo, mas pouco se vê nos sistemas públicos.

Ainda estamos no tempo em que, a redução de custos, com eficiência operacional está disponível com diversas ferramentas, mas pouco se vê nos sistemas públicos.

Ainda estamos no tempo em que, ainda temos os especialistas em manutenção de tubos e os que tem o sistema na memória.

Portanto, devemos INVESTIR EM CONHECIMENTOS





terça-feira, 12 de janeiro de 2021

 

OS ESPECIALISTAS


No fim do século XIX, a Segunda Revolução Industrial aumentou, de forma considerável, a produção de mercadorias e, consequentemente, o número de indústrias pelo mundo.

A partir desse momento, inovações foram criadas para dar conta de tal demanda, a fim de aumentar ainda mais as produções em um menor espaço de tempo.

O primeiro a produzir um modelo de produção industrial que atingisse esses objetivos foi Frederick Taylor, que desenvolveu um sistema que baseava a produção no tempo de movimento dos trabalhadores, o TAYLORISMO.

Neste modelo o CONHECIMENTO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO ERA EXCLUSIVO DE UMA PESSOA – no caso, um gerente.

O trabalhador não precisava saber o porquê da sua função, mas apenas executá-la.

 Foi um período de BAIXA QUALIFICAÇÃO TÉCNICA, em que cabia ao operário apenas a execução de suas tarefas e em um ritmo acelerado para maximizar os lucros. 

Operário Robô


Entretanto, no século seguinte, em 1909, o empresário Henry Ford melhorou as ideias de Taylor e as adaptou para a indústria automotiva, a Ford Motor Company, localizada em Detroit, nos Estados Unidos da América.

Suas ideias revolucionaram a forma como a indústria, de forma geral, produzia suas mercadorias.

Nascia o Fordismo, que dentre varia modernizações, destacamos a DIVISÃO RÍGIDA DE TAREFAS, no processo da esteira, onde cada trabalhador realizava uma função específica, o que aumentava a produtividade e diminuía os custos.

ERAM OS ESPECIALISTAS..........só sabiam fazer uma tarefa e pronto........

Este modelo vigora até hoje em diversas empresas do mundo, e no saneamento, é hodiernamente caracterizada pelos especialistas em;

Tratamento de Água, que são os Operadores

Manutenção de redes, pelos Encanadores

Controle de consumo, pelos Leituristas,

Vendas, pelos Atendentes Comerciais

E por aí vai......assim se houver uma vacância, por acidente, morte, invalidez, aposentadoria, férias, ........ a solução sempre será contratar ou formar outro ESPECIALISTA.


                                                        Operário Especializado

Com a crise de superprodução ocorrida em meados dos anos 1930-40, surgiu um novo modelo, que se denominou Toyotismo, criado pelo empresário japonês Eiji Toyoda, fundador da empresa automobilística Toyota, a partir do que viu nos dois modelos anteriores.

Fundamentalmente, esta modelo prima pela pouca divisão de tarefas, e o trabalhador conhece as etapas da produção. Acabou-se os ESPECIALISTAS, e criou-se os GENERALISTAS, com alto controle de qualidade, em todas as fases do processo, com tecnologia e conhecimento, pois os operários sabem todas as fases da produção, não eram mais robôs.

O profissional generalista é, na verdade, especialista em interagir com várias áreas, já que conta com conhecimentos bem como competências e habilidades diversificados sobre todas elas.

Dessa forma, ele apresenta uma visão sistêmica do negócio e até mesmo de sua própria profissão.

Este modelo, é muito difundido atualmente, sendo que em algumas concessões com atuação da empresa privada, todos os profissionais são generalistas, tosos sabem operar uma Eta, sabem fazer uma manutenção de rede, sabem pesquisar um vazamento, sabem lidar com a comercialização, ou seja, sabem tudo sobre o SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA.

Com este foco criamos o CURSO ON LINE, denominado OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA, que possibilita a disseminação de todo conhecimento entre todas as especialidades que atuam no setor, em todos os níveis hierárquicos.