terça-feira, 23 de novembro de 2010

AGUA DE JARRA

ÁGUA NA JARRA

Durante algum tempo, resolvi fazer uma pesquisa e iniciei uma coleção de rótulos de garrafas de água, em diferentes locais do país em que visitava, e como é regra geral todas apresentavam em seu rótulo a composição físico química da água, onde estão presente os valores das características físico químicas, e a composição química de cada marca engarrafada. No item CARACTERISTICA FISICO QUIMICA, são evidenciados os valores do PH, a Condutividade elétrica, a temperatura da água na fonte, e resíduos quando evaporada, e a sua classificação.

Comentário:

A PORTARIA N.º 518, DE 25 DE MARÇO DE 2004 do Ministério da Saúde, estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, portanto independente de quem distribuída água para consumo humano, esta portaria deve ser obedecida. Nela é relevante o artigo 16 que transcrevemos:

Art. 16. A água potável deve estar em conformidade com o padrão de aceitação de consumo expresso na Tabela 5, a seguir:

Tabela 5 - Padrão de aceitação para consumo humano
PARÂMETRO UNIDADE VMP – Valor Máximo Permitido
Alumínio mg/L 0,2
Amônia (como NH3) mg/L 1,5
Cloreto mg/L 250
Cor Aparente uH(2) 15
Dureza mg/L 500
Etilbenzeno mg/L 0,2
Ferro mg/L 0,3
Manganês mg/L 0,1
Monoclorobenzeno mg/L 0,12
Odor - Não objetável(3)
Gosto - Não objetável(3)
Sódio mg/L 200
Sólidos dissolvidos totais mg/L 1.000
Sulfato mg/L 250
Sulfeto de Hidrogênio mg/L 0,05
Surfactantes mg/L 0,5
Tolueno mg/L 0,17
Turbidez UT(4) 5
Zinco mg/L 5
Xileno mg/L 0,3

(2) Unidade Hazen (mg Pt–Co/L).
(3) critério de referência
(4) Unidade de turbidez.

§ 1º Recomenda-se que, no sistema de distribuição, o pH da água seja mantido na faixa de 6,0 a 9,5.

§ 2º Recomenda-se que o teor máximo de cloro residual livre, em qualquer ponto do sistema de abastecimento, seja de 2,0 mg/L.

Nos rótulos analisados, encontramos as seguintes informações, como características físico químicas das águas.

· PH - é a expressão usada para falar do grau de alcalinidade ou acidez da água. A acidez máxima, ocorre se seu pH é igual a 14. Um líquido neutro é, logicamente, de pH 7. Quando nos referimos a uma água de pH 7,2 estamos falando de uma água ligeiramente alcalina e quando falamos de um pH de 6,8 estamos falando de uma água ligeiramente ácida. Em nossa estatística os valores de todas as águas oscilam entre 4,0 e 5,0
· Condutividade elétrica a 25 graus centígrados 5 a 20 μS/cm
· Temperatura da água na fonte: 24 a 28 graus
· Resíduo de evaporação a 180 graus: 10 mg/l

Informações que não tem nenhum interesse quanto a qualidade da água.

Na composição química são informados os valores de Bicarbonato, cálcio, Nitrato, Potássio, Borato, Cloreto, sódio, Fluoreto, bário, Estrôncio, entre outros, com valores obviamente inferiores ao VMP do ministério da Saúde.

Por exigência legal as empresa de saneamento são obrigadas a publicar em suas contas os seus parâmetros de qualidade, e são objetivas e trazem o que interessa, como:

Turbidez
Cor aparente
Cloro residual
Coliformes Termotolerantes, e Ph

Portanto satisfaz todas as exigências da portaria 518 do Ministério da Saúde, o resultado no quesito qualidade, entre a agua de jarro e as aguas engarrafadas: EMPATE.

Se a água tratada ou engarrafada estiver dentro dos parâmetros de qualidade estabelecidos pela legislação pertinente, ela é segura para o consumo. Desta forma, é importante que se pense não sobre a origem, mas sim sobre como a água chegou até o consumidor. Assim podemos dar preferência àquela alternativa de consumo que causa os menores impactos para chegar até nós.

Muitas pessoas com grande preconceito em relação à água tratada pela concessionária pública. Muitas vezes isso acontece por falta de informação sobre a qualidade da água que nos serve e de que tanto dependemos. Todas as concessionárias públicas que cuidam do abastecimento de água estão obrigadas a seguir os padrões de potabilidade estabelecidos pela Anvisa, de acordo com os mais rígidos controles internacionais. O uso de um bom filtro purificador garante um duplo padrão de qualidade, retirando qualquer contaminação que possa ter acontecido durante o período de armazenamento em caixas d’água (que devem ser limpas periodicamente) e também o gosto do cloro residual que fica na água tratada. Buscar informações sobre o manancial de onde vem a água que chega até sua casa e sobre os cuidados adotados para protegê-lo é um exercício de cidadania e deve ser feito continuamente.

Uma iniciativa de uma Ong denominada água na jarra, realizou um teste cego da água durante o Congresso Mesa Tendências 2010, realizado pelo Senac/SP e revista Prazeres da Mesa, que teve como foco deste ano a sustentabilidade, com o tema: “O que a Gastronomia pode fazer pelo Planeta”. No estande alguns visitantes foram convidados a participar do teste cego da água. Os participantes degustaram dois tipos de água em jarra, uma delas com água tratada e filtrada proveniente de purificadores instalados no local, e a outra com água mineral de garrafa PET. Após a degustação o participante deveria dizer qual a origem de cada uma das águas provadas. Os resultados foram surpreendentes. Os percentuais de erro/acerto ficaram muito próximos e os que erraram ou ficaram em dúvida superaram o número dos que acertaram o teste.


Pela Lei das Probabilidades a chance de erro/acerto em um teste como esse é de 50%. Mas mais do que focar a questão da capacidade ou não de identificar a origem da água, o objetivo é provocar as pessoas a pensar a forma como esta água chega até elas. O consumo consciente é feito pela priorização das alternativas de consumo que causem os menores impactos socioambientais. Qual a escolha que cada um de nós está fazendo?

A Água na Jarra tem boa qualidade e é bem monitorada. Além disso, o uso de um purificador garante a eliminação de que qualquer contaminação que possa acontecer no armazenamento em caixas d’água. A grande questão é: como garantir que a nossa água continue sendo boa para beber? A resposta: isso depende de nós. Valorizar a água que chega até nossa casa significa valorizar os mananciais que abastecem nossa cidade, as áreas com vegetação, valorizar o trabalho das empresas públicas concessionárias e cobrar delas investimentos constantes para garantir a qualidade da água que nos é fornecida.
Algumas engarrafadoras ja consta em seu rotulo o termo: AGUA DE MESA é a mesma ÁGUA DE JARRO, ou como dizia no passado ÁGUA DA MORINGA.
Este texto é um convite a volta ao passado, tão saudável como atualmente

Fonte: www.aguanajarra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário