segunda-feira, 15 de agosto de 2011

GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Existem duas formas de gerenciamento de um sistema de abastecimento de água, sendo o primeiro no escuro, e o segundo de forma automatizada.

a) Gerenciamento no escuro:

Neste modo de gerenciar, o achismo é preponderante, assim como a participação do usuário do serviço que “chia” quando as coisas vão mal, e a falta d’água ocorre em sua residência.

 
Administrar um sistema de abastecimento de água no escuro, é possível em pequenas localidades, com um único sistema de reservação, dois setores de abastecimento, e onde um vazamento não tem duração que prejudique o sistema. Porém nos grandes centros distribuidores, a ausência de controle conduz a extravasamentos de reservatórios, falta d água em setores que serão descobertos quando o “estrago” já é muito grande, gerado pela extensão do tempo de duração entre uma falha no sistema e a ausência total de água nos reservatórios domiciliares.

Um dos grandes problemas dos sistemas com expansão de redes no modo “quebra galho”, é o elevado diferencial de pressão entre setores de abastecimento, com prejuízo para o sistema de medição, alem de rompimentos de redes, por golpe de ariete em manobras de redes.

a) Gerenciamento Informatizado:

Dentre as propostas de melhorias de gerenciamento operacional, com o objetivo de reduzir perdas, e disponibilizar o produto sem necessidade de investimentos expansionistas, a AUTOMAÇÃO é a tecnologia que vem sendo aplicada no saneamento de forma produtiva, e com elevado relação custo x beneficio. Pois os investimentos na aplicação da automação, se justificam pelos resultados de melhoria no sistema de abastecimento, pois todo controle se dá em tempo real, além da redução do custo operacional.

Em um sistema com gerenciamento no “escuro”, quando o responsável pelo abastecimento de água da cidade é alertado por uma notificação do consumidor que está faltando água no bairro lagoa azul, no setor sul da cidade, a sua primeira providencia é enviar uma equipe para inspecionar o booster que alimenta o setor com falta d’água, e daí por diante é uma insana procura, por uma causa, que geralmente é, uma falha elétrica, uma falha mecânica, ou um rompimento, ou entupimento de rede pelo bloqueio de uma cunha de registro avariado, gasta-se com este procedimento um elevado tempo, e um desgaste com o público consumidor, que não aceita ficar sem água, que ocorre nos momentos em que ele mais precisa, exigido do mesmo uma despesa adicional com a aquisição de caminhões pipa.

Em um sistema Automatizado, com um investimento inferior a R$ 10.000,00 o sistema de controle estaria monitorando em tempo real, a pressão em um ponto critico do bairro lagoa azul, assim como o estado de funcionamento do Booster responsável pelo seu abastecimento, e ocorrendo uma ausência de energia, uma falha mecânica, ou um rompimento de rede, um sistema de alarme é acionado, e a equipe de manutenção é deslocada para fazer o reparo em tempo Record, e o usuário do sistema nunca irá perceber a falha, pois não haverá tempo de secar a sua caixa d água.

Observe a sobrecarga do custo da empresa que opera no escuro, deslocando pessoal, perdendo precioso tempo, e comprometendo o índice de atuação da empresa.

Por comando realizados por telemetria, várias unidades da empresa são monitoradas a partir de um único centro de controle, e os resultados positivos obtidos são notadamente visíveis em relação a redução de perdas, de custos operacionais, e de benefícios ao público consumidor.

Dentre estes controles é sugerida uma implantação progressiva, com destaques para os seguintes controles em regime prioritário:



a) Controle operacional de booster (Tempo de funcionamento, Liga/desliga, energia, pressão de trabalho, invasão)

b) Controle de pressão em pontos estratégicos da rede de distribuição (Pressão mínima, alarme, e máxima)

c) Controle de níveis dos centros de reservação (Nível mínimo, alerta, extravasamentos)

d) Instalação de válvulas de controle em pontos estratégicos da rede (Pressão, vazão)

 
beneficios imediatos com a automação
 
 Otimização de mão-de-obra e valorização do operador;



 Sistema livre de pagamento de taxas mensais / anuais;


 Economia de Energia através da otimização da operação;


 Monitoramento on-line 24h/dia;


 Análises de possíveis falhas;


 Menor custo de implantação;


 Maior flexibilidade de interfaceamento com painéis existentes;


 Diagnóstico por setores;


 Controle integrado;


 Sistema automatizado;


 Controle através de sistema supervisório;


 Manipulação de grandezas a distância;


 Outros.

Em suma, uma empresa que “opera no escuro”, tem um elevado custo operacional, representado pelo excesso de pessoal, elevado desperdício de energia, e custos de manutenção.

Um comentário: